<< voltar

(09/12/2013) HISTÓRIA DO GINGERBREAD (O HOMEM-BISCOITO)

Era uma vez…
Uma velha senhora e seu velho marido estavam com fome. Então a velhinha decidiu fazer um biscoito de gengibre, em formato de boneco e colocou no fonro, para assar. Quando ela abriu o forno, para tirar o biscoito, o gingerbread man pulou da fôrma e saiu correndo pela janela, que estava aberta. A velha senhora e seu marido gritaram: “Pare! Pare! Estamos com fome e vamos comê-lo!” E o gingerbread man respondeu: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o gingerbread man!”

Enquanto corria, o gingerbread man encontrou um porco que disse: “Pare! Pare! Eu quero comer você!” E o gingerbread man respondeu: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o gingerbread man!” Mais à frente, o gingerbread man encontrou uma vaca faminta, que também queria comê-lo. E ele repetiu: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o gingerbread man!”

E todos corriam atrás do gingerbread man: a velhinha, o marido da velhinha, o porco e a vaca, mas ninguém conseguia alcançá-lo. E então um cavalo também viu o gingerbread man e disse: “Pare, homenzinho! Eu quero comê-lo!” E o gingerbread man falou mais uma vez: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o gingerbread man!”
Então o cavalo também começou a correr atrás do gingerbread man. O pior é que o gingerbread man percebeu que estava correndo em direção ao rio. Ele pensou: “Oh, não! O rio! Agora eles vão conseguir me pegar! Como eu vou conseguir atravessar o rio?” Foi nesta hora que uma esperta raposa saiu de trás da árvore e disse: “Eu posso ajudar você a atravessar o rio. Pule no meu rabo e eu nado até o outro lado.”

Gingerbread man, desconfiado, perguntou à raposa: “Mas você não vai querer me comer?” E ela respondeu; “Claro que não! Eu só estou tentando ajudar!” O gingerbread acreditou na raposa e pulou no seu rabo. Mas a raposa disse: “Você é muito pesado. Pule nas minhas costas, para eu poder nadar.” E ele pulou. Quando estavam no meio do rio, a raposa disse: “Você é muito pesado. Pule no meu focinho!” E o gingerbread man pulou no focinho da raposa.

Quando chegar à outra margem, a raposa
Fim! jogou o gingerbread man para o alto, com a intenção de agarrá-lo com a boca, para poder matar a sua fome. Mas o gingerbread man era mais esperto do que a raposa e saiu correndo, dizendo: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o gingerbread man!” Mas a raposa escorregou na margem do rio, caiu na água e foi levada pela correnteza. E assim, desde esse dia, o gingerbread man corre por aí, sem que ninguém consiga pegá-lo.

Solicite seu orçamento:

41 3244-4373 41 9615-3336